Já falei em alguns outros posts sobre a importância de um briefing bem elaborado, ele vai te economizar tempo e elevar sua organização.

Já existem muitos modelos disponíveis na internet, é só pesquisar para encontrar vários, mas com certeza há poucos que vão se encaixar no que você precisa para criar, pois cada um tem um modelo diferente de criação, até podemos manter uma timeline de criação, mas o modelo é único, por exemplo, há pessoas que conseguem criar uma ótima ideia com apenas três respostas: nome da empresa, ramo e o público.

Mas quanto mais repostas tiver, mais ideias você pode criar.

Então você pode dividir o seu briefing em três seções:

  1. Com quem estou falando?
    Aqui você poderá conhecer melhor o seu cliente, o que ele faz na empresa ou porque ele tem aquela empresa, seus gostos e referências.
  2. Como é a empresa?

Bom, sem sombra de dúvida, nesta seção você irá buscar tudo sobre a empresa atualmente, seu ramo, seu público, suas ideias, onde ela ataca…

  1. Como gostaria que fosse?

Se seu cliente buscou um novo projeto, com certeza, a empresa ainda precisa de algo, pergunte! Aqui também há espaço para perguntar sobre seus concorrentes.

No caso de uma nova criação, o briefing pode ser reduzido nas seções 1 e 3 😉

Aliás, claro que isso não é uma regra, mas você pode melhorar ainda mais seu documento evitando perguntas como:

– Qual sua cor favorita?
– Qual marca você quer como base?
– Existe algum estilo que gostaria que fosse usado?
– Quantas opções você quer ver?

Pare com essas perguntas e surpreenda seu cliente. =)

Conheça os planos de imagens e créditos de Fotolia by Adobe e encontre insights para seus projetos!

Artigo por: Pedro Renan – Quarto Criativo