Dan Tom e Tyson Wheatley são dois dos fotógrafos que se juntaram à viagem à Polinésia Francesa da Adobe Stock e Tiny Atlas Quarterly para fotografar para a coleção Premium. Dan é nascido e criado em São Francisco e Tyson conta que o Brooklyn é a sua casa. Dan é um web designer durante o dia e Tyson faz fotografia e direção criativa. Mas o que eles têm em comum é o amor pela viagem e uma inclinação pela fotografia de celular. Falamos com os dois aventureiros sobre os benefícios de fotografar com o seu celular.

Fase inicial com o Celular

 Tyson atribui sua carreira na fotografia de celular. “A fotografia de celular é o meu primeiro amor – é onde eu comecei e é onde eu me sinto mais à vontade. Muito do trabalho que eu faço é no universo do celular, nas mídias sociais, então, para mim, é importante poder capturar e editar uma imagem rapidamente e depois compartilhá-la com o mundo.”

DAN TOM / FOTOLIA

Para Dan, fotografar com o celular significa disponibilidade e flexibilidade. “Eu fotografo com o celular porque muitas vezes é o que está mais disponível – às vezes é a única câmera que eu tenho, porque eu não levo minha câmera maior em todos os lugares.” A abordagem de Dan na fotografia é orgânica, e ele nem sempre sai para fotografar algo específico. “Pode ser um pedaço de nuvem maluco, ou apenas as cores da água, vendo como todas essas coisas interagem umas com as outras”, explica Dan. Pelo fato de nem sempre poder antecipar o que vai atrair sua atenção, ter sempre uma câmera à mão na forma de um celular é crucial.

Como viajantes ávidos, essa facilidade contribui muito. “Às vezes, você não quer chamar a atenção como um turista usando uma câmera enorme ou arriscar ter sua câmera roubada – é muito mais fácil ser discreto, o que é útil quando se está fotografando na rua”, Dan compartilha.

Incentivando comunidades

O impacto da fotografia de celular se estende além da conveniência – também desempenhou um papel na construção de conexões. O rápido compartilhamento de informações e imagens contribuiu para o crescimento exponencial das mídias sociais e, por sua vez, deu origem a comunidades de fotografia online. Quando Tyson estava morando no exterior, em Hong Kong, ele cofundou a HK Instayay, o que levou ao primeiro InstaMeet em Hong Kong. “Nunca foi tão fácil compartilhar ou se conectar com as pessoas. Isso me conectou com tantos fotógrafos, pessoas que se tornaram meus mentores, amigos e colegas de trabalho.”

TYSON / FOTOLIA

Nivelando o campo de jogo

A fotografia de celular igualou o campo de jogo para os fotógrafos. Os celulares com câmeras tornaram a fotografia mais acessível do que nunca. Em 2016, a Deloitte Global previu que 2.5 trilhões de fotografias seriam compartilhadas e armazenadas, e mais de 90% dessas imagens seriam tiradas com um telefone celular. Isso também significa que agora há mais fotos sendo tiradas do que nunca, e o cenário nunca foi mais competitivo.

Tyson e Dan têm algumas dicas bem diretas para os fotógrafos de celular iniciantes. “A luz é sua melhor amiga e pior inimiga”, diz Tyson, e acrescenta que um pequeno investimento em equipamentos básicos pode ajudar bastante. “Invista em alguns acessórios simples para o seu celular. Lentes acopláveis, como a Moment. Um tripé compacto, como o Gorillapod, para fazer um time lapse. E, claro, ajuda se você possuir alguns excelentes aplicativos de edição. Eu gosto do Priime, VSCO, Snapseed, TouchRetouch e Adobe Lightroom Mobile “.

No fim do dia, a coisa mais importante é sair e fotografar. Dan incentiva a fotografar o máximo possível – quanto mais você fotografar, mais rapidamente seu olho irá se desenvolver. Afinal, a prática leva à perfeição.

Conheça os planos de imagens e créditos de Fotolia by Adobe e encontre mais fotógrafos para te inspirar!